Carregando página Daksa Digital Strategy
60% Complete (warning)

BLOG

O Storytelling é essencial para o Design Thinking e vamos te mostrar o motivo!

postado por Luciana Teixeira
09/11/2018
O Storytelling é essencial para o Design Thinking e vamos te mostrar o motivo!

Há um momento maravilhoso no terceiro ato do filme biográfico de 2012, Hitchcock. A estreia de Psicose está se aproximando da cena do chuveiro. Hitch, interpretado por Anthony Hopkins, espera do lado de fora, o ouvido pressionado contra a porta do teatro. Ele está ouvindo a reação do público.

 

Então, de repente, de dentro, ouvimos os golpes reconhecíveis da faca e o público começa a gritar. Hitchcock balança os braços como um maestro, antecipando cada suspiro e cada grito de sua audiência.

 

Ele se afasta satisfeito.

 

É um aceno maravilhoso para a habilidade extraordinária de Hitchcock de controlar a reação do público. Nós o chamamos de Mestre do Suspense, mas, na verdade, ele era o Mestre de algo muito mais interessante – algo que meio século depois passamos a chamar de Experiência do Usuário – ou UX. Um termo de design empregado em relação à interação de um usuário com uma interface seja um aplicativo, um site ou um dispositivo físico.

 

Devemos nos perguntar então: como projetamos histórias para criarmos ótimas experiências para o usuário? Quando isso é feito fora da ficção, você se concentra em projetar uma narrativa que atraia uma audiência e entrega-a elegantemente a um clímax significativo, em vez de apenas criar um arranjo lógico dos fatos. E é aí que entra o storytelling.

 

 

O que é Storytelling?

 

Você pode estar pensando: “Sou designer – por que preciso me preocupar em contar histórias?” Mas contar histórias é mais do que literalmente sentar e escrever um conto de heroísmo, romance ou bruxos que falam latim.

 

Encontramos narrativas nos aspectos cotidianos de nossas vidas, como quando vemos um homem puxar um cachorro para fora de um cruzamento movimentado, ou quando assistimos a um grupo de manifestantes passarem carregando cartazes pintados à mão para defender seus ideais. Estas cenas são histórias, são pequenos momentos de pessoas agindo e afetando o mundo ao seu redor.

 

Aposto que cada filme que você já viu é algo assim: há uma pessoa que reage a algo que aconteceu ao seu redor, o que por sua vez faz com que outra coisa aconteça e assim por diante.

 

A chave é incorporá-los de maneira eficaz à forma como você se comunica com seus clientes e seus espectadores.

 

 

E o design thinking?

 

O Design Thinking tem a ver com uma abordagem disciplinada, objetiva e metódica para resolver um problema de design: definir claramente o desafio, criar várias soluções, escolher o melhor e executar.

 

Combinar isso com uma história cria um processo em que injetamos essa mesma disciplina no processo narrativo, removendo efetivamente as conjecturas. Neste caso, o problema de design é identificar e transmitir o significado da sua história na mente do seu público da maneira mais memorável.

 

Qual é a mensagem principal que você está tentando transmitir ao seu público? Quando você entra em uma reunião com o cliente, o que você quer que ele leve mais a sério? Você não está vendendo apenas um site ou uma campanha de branding. É mais que isso.

 

Seu cliente sonha com alguma história que, como designer, é o seu trabalho descobrir.

 

 

O que podemos concluir?

 

A coisa mais importante que você pode fazer como profissional criativo é captar a imaginação do seu público. Um verdadeiro visionário tem uma narrativa e conta a história do trabalho da maneira que ele ou ela puder.

 

Lembre-se, ninguém compra suas habilidades – elas compram uma ideia, uma visão, um sonho de como elas podem alcançar seus negócios e metas pessoais com a sua ajuda. Eles compram a história que diz o porquê, não o que, do que você faz.

 

Use a personalidade, paixão e drama de suas histórias para informar seus projetos. Quanto mais específicas forem as suas histórias, melhor você será como designer.

 

Posts Relacionados