Carregando página Daksa Digital Strategy

Marketing Sensorial: o que é, como aplicar e quais as vantagens?

Informação na duração de um cafezinho!
Quer ficar bem informado e ainda ter uma boa dose de inspiração? Então cadastre-se e receba o ESPRESSO: conteúdos exclusivos sobre marketing e empreendedorismo com um olhar diferente do padrão que você conhece.
postado por Luciana Teixeira
29/05/2020
Marketing Sensorial: o que é, como aplicar e quais as vantagens?

O Marketing Sensorial é uma estratégia que pode ser vista praticamente em todos os lugares.

esmo não sabendo exatamente o que significa este conceito, com certeza você já foi estimulado por uma foto em um outdoor, ou até mesmo pelo cheiro da comida de um restaurante, não é mesmo?

De maneira geral, portanto, o Marketing Sensorial é aquele que utiliza diversos estímulos positivos com o objetivo de reforçar uma boa imagem para determinada marca.

Sendo assim, é uma estratégia que pode ser empregada para conquistar clientes e elevar as vendas de empresas que atuam em qualquer segmento.

Continue a leitura e entenda melhor sobre como o Marketing Sensorial funciona!

O que é o Marketing Sensorial?

Resumidamente, o Marketing Sensorial nada mais é do que uma estratégia que tem como intuito principal promover experiências sensoriais nos possíveis clientes de uma marca.

Isso para que essas pessoas possam se conectar emocionalmente à empresa, oferecendo estímulos positivos, por meio da exploração dos 5 sentidos do corpo humano:

- Audição;

- Visão;

- Paladar;

- Olfato;

- Tato.

Dessa forma, vale ressaltar que a finalidade da estratégia é criar uma imagem e uma lembrança positiva da marca na mente do consumidor.

 

Quais as vantagens do Marketing Sensorial?

Ao todo, existem inúmeras vantagens ligadas diretamente ao Marketing Sensorial. Entretanto, algumas delas acabam se destacando.

Entre elas, as principais são:

- Aumentar as chances de fidelização;

- Incentivar o desejo de compra de forma sutil;

- Encantar os clientes;

- Desenvolver vínculos emocionais mais intensos com o consumidor;

- Criar uma identidade única e inovadora;

- Despertar interesse e curiosidade;

- Fortalecer a marca e o relacionamento com os clientes.




Como colocar em prática essa estratégia?

Depois de ter entendido melhor o conceito de Marketing Sensorial e de ter conferido as principais vantagens dessa estratégia, chegou a hora de saber como colocá-la em prática. Abaixo, listamos algumas dicas.

Conheça a empresa

Como em qualquer outra estratégia, a primeira coisa que você precisa fazer é conhecer detalhadamente a sua marca, sua missão e valores, bem como seus diferenciais.

Me refiro a detalhes, não apenas o conhecimento geral. A diferença está em colocar no papel e organizar esses pontos. Isso é muito importante para o próximo passo, que é conhecer os seus clientes.

Despertar sensações nos clientes não é uma tarefa fácil se você não os conhece!

 

Estude o cliente

Conheça sua persona! Essa também é uma etapa que faz parte de qualquer estratégia de marketing e sempre falamos dela por aqui.

Quando você define a persona, pode levar em conta suas preferências e necessidades para oferecer a melhor experiência.

Quer exemplos?

Se o seu cliente é uma pessoa casada, que valoriza a família e tem filhos pequenos, as artes desenvolvidas pelo seu marketing devem utilizar imagens que remetam a momentos em família, mostrando que seu produto ou serviço promove essa tranquilidade, felicidade e segurança para as pessoas amadas.

Agora, se seu público é formado por jovens, solteiros, que buscam uma vida agitada, o ideal é utilizar cenários desejados por eles, como festas, lugares repletos de pessoas interessantes e cores vibrantes.

Quando você conhece a persona com detalhes, você pode incrementar essas escolhas na comunicação, sempre pensando em qual sentido despertar. A persona jovem, por exemplo, pode gostar mais de consumir conteúdo por áudio. Assim, você já sabe que pode explorar mais vídeos ou investir em um podcast, por exemplo.


>


E funciona mesmo?

Sim, e muito!

Se você parar para pensar a respeito, pode identificar exemplos que tem contato todo dia, mas não sabia que era classificado como Marketing Sensorial.

Comerciais de carros, que mostram um homem com certas características e expressões faciais satisfeitas, sentindo-se poderoso e orgulhoso, em um cenário de superação de obstáculos, por exemplo, despertam o desejo de que aquela história contada aconteça com o espectador, que quer se sentir como o personagem.

Ou então, pense em comerciais de perfumes. O homem sofisticado atraindo uma bela mulher em um cenário romântico e sexy, provoca o desejo similar ao primeiro exemplo.

Perceba que esses exemplos apelam para a imaginação. Faz a pessoa desejar, perceber o que ela quer para sua vida, e relacionar aquilo com o seu produto.

Essa é chave: fazer com que o público relacione algo que ele quer, ou algo que ele ame (como situações felizes do passado), ao seu produto e sua empresa.

Claro, os sentidos da visão e audição são mais simples de serem utilizados em ações digitais, mas ainda é possível usar os outros, se você for criativo. O ideal é explorar todos, e isso é possível, sim, no digital.

Se você já leu um livro que gostou muito, vai lembrar das suas descrições, que praticamente transportaram você para o mundo da história contada. Você conseguiu sentir os cheiros, a textura, e o gosto das coisas descritas.

Isso também pode ser feito nos seus conteúdos. Se você vende produtos alimentícios, por exemplo, e seu público é composto por mães, mostre em suas postagens imagens de crianças saudáveis e felizes, escreva textos descrevendo a alegria da família em um almoço de domingo.

Lembra de comerciais de margarina? Você quase pode sentir o sol da manhã e o cheiro de pão quentinho só por eu ter feito essa pergunta. E provavelmente lembrou da marca da margarina que você prefere, não lembrou?

Palavras têm poder, e isso não é só um ditado. O nosso cérebro cria, automaticamente, imagens e sensações quando lemos sobre algo. E associa essas sensações ao que fez isso ser despertado.

É isso que o Marketing Sensorial promove.

Além do digital.

Essa é uma estratégia ampla, que pode ser aplicada de diversas formas, além dos exemplos citados aqui, onde focamos no digital.

Dependendo do seu tipo de negócio, você pode fazer um uso mais literal dos sentidos. Por exemplo, se você é uma empresa B2C, os sentidos do tato, olfato e paladar podem ser usados com muitos resultados positivos em sua loja física, e de maneiras bem simples.

Oferecer um café, uma degustação, apostar em cheiros relacionados a bons sentimentos, colocar um carpete confortável no chão... tudo vai depender do seu ramo, seus objetivos, sua persona e sua criatividade.

 

O Marketing Sensorial oferece ótimos resultados, mas depende de detalhes e exige profissionais que tenham empatia, sensibilidade, conhecimento profissional em escrita, design e, claro, em marketing! 

Posts Relacionados