Carregando página Daksa Digital Strategy

Consumidores hiperconectados: desafio do marketing

Consumidores hiperconectados: desafio do marketing

postado por Renato Casteleti
16/03/2018
Consumidores hiperconectados: desafio do marketing

A transformação digital permite que os cidadãos se conectem a internet em qualquer lugar, a qualquer momento. 

Segundo consultorias especializadas, mais de 80% dos consumidores atuais utilizam a internet para pesquisar produtos. E os brasileiros acessam as redes sociais por volta de 60% mais as redes sociais do que o resto do mundo, sendo o Facebook a rede predileta no país. 

Esses números mostram o quanto somos ligados a essas tecnologias. Entretanto, há quem vá além. São os chamados “consumidores hiperconectados”. Estes totalizam um terço da América Latina e, novamente, o Brasil é o campeão nesse quesito, com 49% de todos os seus internautas.

E você pensa que apenas aqueles com mais de dez ou cem mil seguidores são influenciadores de opinião quando o assunto são marcas ou preferências? Ledo engano. Todo hiperconectado influencia seus amigos, sejam os das redes sociais ou do off-line. 

Melhor não deixar o hiperconectado insatisfeito.

Se isso pode parecer a chance de ouro para atingir boa parte do mercado de uma só vez, pense novamente. A transformação digital afetou o consumidor e seu comportamento. Consequentemente, o marketing tradicional não tem mais vez. É um tiro no pé.
Exceto se a empresa estiver a par da transformação digital.

O desafio de atrair e satisfazer o consumidor hiperconectado
Exigente, seguro, informado, vaidoso, imediatista e, principalmente, conectado. Esse é o cidadão atual, conhecido como “cidadão 3.0”. Ele é mais do que um consumidor, é produtor ativo. Inclusive de conteúdo. E no que isso acarreta? 

Mudanças profundas no marketing. Deixe para trás os moldes de onipresença. Lembre-se que propaganda demais é tão prejudicial quanto propaganda alguma. 

Hoje, menos é realmente mais

Exceto para informação. Uma das melhores consequências do alto número de hiperconectados é a quantidade de Big Data disponível. Atualmente é muito mais fácil encontrar dados sobre suas preferências e necessidades, comportamentos, opiniões e graus de satisfação com as marcas. Faça da informação a sua maior aliada no marketing para os novos consumidores.

Através dela, é possível investir em user experience, outro fator de enorme importância para o hiperconectado. É a experiência da compra que o conquista, mais do que o produto ou serviço em si. Ou seja, sites responsivos e adaptados para o mobile, aplicativos e bom atendimento e relacionamento com o cliente são indispensáveis para atrair e satisfazer.

Tenha um propósito. Alinhe a cultura de sua empresa com os direitos humanos e trabalhos voluntários. Isso é de valor altíssimo para os millenials, que trocariam de marca sem hesitar por questão de propósito. 

Esteja apenas onde o cliente em potencial está. Não perca tempo tentando marcar presença em todo lugar.

Lembre-se que o consumidor está mais exigente. Ele não quer ser bombardeado por propagandas e nem por conteúdo massivo, generalizado. Personalize toda a comunicação, desde o marketing inicial até o contato dos últimos estágios do funil. Faça-o se sentir tão especial quanto ele de fato é.

Ou seja, uma empresa que tenha se reestruturado usando a tecnologia como base terá seu marketing facilmente adaptado para o consumidor hiperconectado.

Posts Relacionados

Whatsapp contato