Carregando página Daksa Digital Strategy

Último lançamento da Apple, o Iphone 11, reacende a pergunta: como a Apple consegue tanto sucesso?

postado por Luciana Teixeira
13/09/2019
Último lançamento da Apple, o Iphone 11, reacende a pergunta: como a Apple consegue tanto sucesso?
A Apple, mais uma vez, dominou o ciclo de notícias no mundo da tecnologia. Uma das marcas mais valiosas do mundo, lançou seu novo aparelho, o iPhone 11, e foi a grande notícia do momento. Isso levanta mais uma vez a clássica pergunta: como a Apple consegue?



Experiência é mais importante do que preço

A Apple tem alguns dos aparelhos mais caros do mercado, e ainda assim, sempre tem os produtos mais vendidos e usados. A explicação para isso é bem simples: as estratégias da Apple giram em torno de um ponto comum, a experiência do usuário.

Um fator que pode ser um erro e que muitas empresas cometem é entrar em uma briga de preço, quando este ponto não é mais tão importante para muitos dos consumidores. Basta conversar com um fã da Apple, que ele irá dizer que sabe que os produtos da marca são mais caros, mas que não importa, porque ele está pagando por qualidade. 

Essa é uma frase poderosíssima e mostra porque a Apple tem alguns dos defensores da marca mais forte do mundo. Como? É simples, cada uma das ações tem o objetivo de trazer a melhor experiência para o consumidor.

"It Just Works”

It Just Works. Simplesmente funciona. Durante muito tempo, este foi o slogan da Apple. Parte da filosofia da empresa sempre foi, e é até hoje, manter tudo o mais simples possível. Desde a comunicação, até o próprio produto. É algo que está no DNA da empresa, e ter essa característica em cada aspecto do negócio é que o faz a marca valer mais de U$ 300 bilhões.

O usuário sabe que, ao pegar um produto da Apple, ele irá funcionar perfeitamente, não importa o que seja.



As recomendações são a maior força da marca

A maioria das estratégias de lançamento dos produtos da Apple é bem semelhante. Eles simplesmente anunciam o produto, o que já gera um desejo enorme nos fãs, e deixam clara a data de lançamento, quando começa a corrida desenfreada para comprá-lo.

Ninguém entende melhor a força do boca-a-boca do que a Apple. É uma das marcas com os maiores defensores, que não somente são extremamente fiéis à marca, mas que também são evangelizadores ferrenhos, recomendando os produtos para todos que conhecem.

O motivo para isso é o ponto abordado acima, a experiência do usuário a cada interação com a marca. Desde o design do produto, até a ida à loja e o fato de “Just works”.

Trabalhando as emoções

A Apple trabalha as emoções melhor do que ninguém. Desejo, comodidade, conforto. Pense na comunicação que a empresa faz. Ela raramente foca nos aspectos mais técnicos dos seus produtos, o que seria bem fácil, porque eles tendem a ser muito bons, mas sim, nas emoções que eles trazem.

Isso, porque a empresa percebeu que a maioria das decisões de compra de seus clientes é feita com base nas emoções. O ser humano é um ser racional, mas no momento de fazer uma compra, esse aspecto da nossa personalidade tem um peso minúsculo, comparado com o emocional.

E é por isso que é uma empresa com tanto sucesso. Seu foco é na emoção que seus produtos trazem e experiência do usuário. Preço e especificações técnicas do produto? Quase não são mencionados.

O exemplo da Apple é interessante, pois apesar de toda a tecnologia e investimento, a sua estratégia é inerentemente simples. É o boca-a-boca, é entregar uma boa experiência, é fazer o cliente se sentir especial e realizado, parte de um grupo. 



E a sua empresa, será que está pensando nos sentimentos dos clientes? 

Posts Relacionados